+55 (41) 99743-8306 contato@jornalri.com.br

O Estudo, pelo Vaticano, da Excomunhão de Mafiosos e Corruptos

Depois de, em 21 de junho de 2014, a máfia calabresa ‘Ndrangheta[1] ter sido excomungada pelo papa Francisco[2] durante a visita pastoral a Cassano all’Jonio, o Vaticano decidiu estudar medidas que levem à excomunhão de mafiosos e corruptos quaisquer que sejam os respectivos países de origem. Um grupo de 50 pessoas oriundas de vários países – prelados, magistrados anti-máfia e anti-corrupção, personalidades de instituições do Vaticano, de Estados e da ONU, alguns embaixadores, líderes de movimentos, vítimas, jornalistas, estudiosos e intelectuais – se reuniu, em 15 de junho, no Vaticano, para participar no primeiro “Debate Internacional sobre a Corrupção”, organizado pelo Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, em colaboração com a Pontifícia Academia para as Ciências Sociais.

Sketch do julgamento, em Palermo, de suspeitos de integrarem a máfia. Do jornal L’Ora, maio de 1901.

O combate à máfia e à corrupção se configura, atualmente, não só como uma questão legal mas, também, civilizacional. O cardeal Peter Kodwo Appiah Turkson proferiu as seguintes declarações: “Pensámos esta reunião para lidar com um fenômeno que espezinha a dignidade da pessoa. Nós queremos afirmar que não se pode mais espezinhar, negar, prejudicar a dignidade das pessoas. Portanto, cabe a nós, com este Dicastério, saber como proteger e promover o respeito pela dignidade da pessoa. Assim, procuramos chamar a atenção do mundo para este fenômeno”. Por outro lado, o arcebispo Silvano Tomasi explicou o objetivo do Debate, que consistiu em “sensibilizar a opinião pública, identificar os passos concretos que possam ajudar com políticas e leis que, eventualmente, previnam a corrupção”, na medida em que “a corrupção é como um verme que se infiltra nos processos de desenvolvimento para os países pobres ou em países ricos, que arruína as relações entre as instituições e as pessoas. Logo, o esforço que estamos fazendo é para criar uma mentalidade, uma cultura de justiça que possa combater a corrupção e beneficiar o bem comum”. Na sequência do “Debate Internacional sobre a Corrupção”, o grupo participante está elaborando um documento que irá orientar os trabalhos sucessivos e as iniciativas futuras. Entre estes, se assinala a necessidade de aprofundar, a nível internacional e da doutrina jurídica da Igreja, a questão relativa à excomunhão dos corruptos e dos mafiosos.

Reafirmando o empenho do Vaticano no combate contra os mafiosos e os corruptos, o papa Francisco publicou, em 19 de julho, uma mensagem em sua conta italiana do Twitter, alusiva ao 25.º aniversário do assassinato do juiz Paolo Borsellino e de cinco dos seus seguranças, em Palermo, Itália. Na mensagem de Francisco, publicada na conta @Pontifex, lê-se: “Rezemos por todas as vítimas das máfias, peçamos a força para seguir em frente, para continuar a lutar contra a corrupção”. Na verdade, tal como sublinhou o padre Pio Luigi Ciotti, fundador da Associação Libera[3] e um dos participantes no “Debate Internacional sobre a Corrupção”, “o Evangelho é incompatível com as máfias e com qualquer forma de corrupção. A fé não pode ficar em silêncio, indiferente ou inerte frente ao mal e às injustiças”.

——————–

Imagem:

Sketch do julgamento, em Palermo de suspeitos de integrarem a máfia. Do jornal L’Ora, maio de 1901.

(Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/0/0d/Sicilian_mafia_1901_maxi_trial.jpg

——————–

Fontes consultadas:

[1] Ver:

A ‘Ndrangheta, também conhecida como Famiglia Montalbano, Onorata Società e Picciotteria, é uma organização mafiosa oriunda da Calábria, Itália. Ao contrário de outras estruturas mafiosas, que possuem um sistema piramidal de chefia, a ‘Ndrangheta tem por base famílias de sangue.

Atualmente, a ‘Ndrangheta é uma das organizações criminosas mais poderosas no mundo, operando em cerca de 30 países.

[2] Ver:

“A ‘ndrangheta é isto: adoração do mal e desprezo do bem comum. Este mal deve ser combatido, afastado! É necessário dizer-lhe não! A Igreja que, bem sei, está deveras comprometida na educação das consciências, deve preocupar-se cada vez mais para que o bem possa prevalecer. Pedem-no os nossos adolescentes, pedem-no os nossos jovens necessitados de esperança. Para poder responder a estas exigências, a fé pode ajudar-nos. Aqueles que na sua vida percorrem este caminho do mal, como são os mafiosos, não estão em comunhão com Deus: estão excomungados!”, PAPA FRANCISCO, “Santa Missa – Homilia do Santo Padre”, Esplanada da Marina de Sibari, Calábria, 21 de Junho de 2014.

Disponível online:

http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/homilies/2014/documents/papa-francesco_20140621_cassano-omelia.html

[3] Ver:

A Associação Libera foi fundada em Roma, no dia 25 de março de 1995. A partir da prática dos direitos da cidadania, ela tem, como objetivo, a sensibilização da sociedade civil contra o crime organizado, promovendo a legalidade democrática e a justiça.

Sítio web da Associação Libera:

http://www.libera.it/flex/cm/pages/ServeBLOB.php/L/IT/IDPagina/1