+55 (41) 99743-8306 contato@jornalri.com.br

O Desenvolvimento e os Direitos das Gerações Futuras

O início de ano é um momento para reflexão sobre o que se deseja no novo período, uma fase para se fazer um balanço das atitudes positivas e negativas e de tomada de decisões. Aproveitando esses primeiros dias do ano que se inicia, a proposta é refletir sobre o que estamos fazendo, enquanto comunidade terrestre, para a manutenção dos direitos das gerações futuras ao meio ambiente e aos recursos naturais que temos disponíveis atualmente.

A nossa responsabilidade para com as diversas formas de vida.

Ao explorar em demasiado a natureza de uma maneira não racional e baseada apenas na obtenção de lucros, sem ponderar os danos, comprometeremos as condições de sobrevivência dos que virão depois de nós. Os recursos naturais de nosso planeta são finitos e há outras espécies que necessitam deles para a manutenção do seu modo de vida e subsistência. Não se pode encarar a natureza como mera fornecedora de itens dos quais necessitamos, colocando-a a nossa disposição.

Ignacy Sachs traz bases teóricas para a proposta de um desenvolvimento ecologicamente orientado. O autor considera alguns aspectos como a satisfação das necessidades humanas, a garantia de recursos para as gerações futuras e a participação das populações nas decisões relacionadas à natureza. Ele coloca como uma questão ética a preocupação com o bem-estar das gerações futuras, além da responsabilidade com todas as outras formas de vida.

Portanto, para garantir a manutenção da natureza, é preciso refletir sobre as atitudes adotadas nos dias atuais. Não é possível manter o modelo de desenvolvimento que coloca as necessidades, muitas vezes supérfluas, do ser humano acima da nossa responsabilidade para com o grande organismo vivo que é o Planeta Terra.

Historicamente, um dos documentos importantes que destacam o direitos das gerações futuras é o Relatório Brundtland, mais conhecido como “Nosso Futuro Comum” (Our Common Future), publicado em 1987. Ele define, pela primeira vez, como recomendação política para os Governos das nações, que é importante garantir o desenvolvimento humano atual sem ferir o direito de as gerações futuras sobreviverem no mesmo ambiente.

É importante que a humanidade planeje o desenvolvimento sustentável, garantindo assim a qualidade de vida para as futuras gerações. É preciso também que cada um perceba a sua responsabilidade neste processo, que repense suas atitudes e escolhas. Além disso, é necessário cobrar que governos realizem políticas públicas eficientes neste sentido. Que este seja um ano de reflexão e de tomada de atitudes.

——————–

Imagem:

A nossa responsabilidade para com as diversas formas de vida.

(Fonte):

https://nacoesunidas.org/wp-content/uploads/2017/12/seca_semiarido-e1514306151865.jpg

Fonte Consultada:

SACHS, Ignacy (Organização: Paula YoneStroh). Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável. Rio de Janeiro: Garamond, 2002.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *