+55 (41) 99743-8306 contato@jornalri.com.br

A Indústria de Defesa na Arábia Saudita

No ano de 2016 o Reino da Arábia Saudita caiu uma posição, de terceiro para quarto, no ranking dos maiores orçamentos militares do mundo segundo dados publicados pelo Stockholm International Peace Research Institute (SIPRI). Apesar disso, a Arábia Saudita se manteve no Top 5 dos maiores gastos militares, logo à frente da Índia e atrás apenas dos Estados Unidos da América, China e Rússia, que tomou o terceiro lugar de Riade.

Al-Masmak. Veículo de transporte de pessoal resistente à minas, produzido pela Saudi Groups.

Ainda assim, os dados do SIPRI demonstram que os sauditas são quem aplica a maior parcela do seu Produto Interno Bruto (PIB) em Defesa, com cerca de 10% da fatia do PIB (cerca de 63,7 bilhões de 637 bilhões de Dólares) sendo direcionada para gastos no setor. Aliás, se o Top 5 fosse formado por países que mais investem no setor militar por parcela do PIB, o ranking de 2016 ficaria na seguinte ordem: Omã com 16% direcionado para a Defesa; Arábia Saudita, com 10%; Congo, 7%; Kuwait, 6,5%; e Israel com 5,8%.

Embora os sauditas se encontrem entre os maiores orçamentos militares do mundo, o país investe em torno de 2% de seus gastos na área em aparelhos e equipamentos produzidos internamente. Segundo o Saudi Vision 2030, documento de visão estratégica lançado por Riade em abril de 2016, os sauditas pretendem localizar internamente os investimentos no setor militar em cerca de 50% até o ano de 2030, um plano ambicioso para um país com um amplo histórico de aquisições de materiais produzidos no exterior.

Atualmente a Arábia Saudita conta com alguns armamentos produzidos pela indústria bélica nacional. Entre eles encontram-se os veículos blindados sobre rodas Al Fahd, com capacidade anfíbia, fabricados pela Abdallah Al Faris Company for Heavy Industries para utilização da Guarda Nacional Saudita, e o Al-Masmak, veículo de transporte de pessoal resistente a minas, produzido pela Saudi Groups e utilizado pelo Exército regular saudita. Há também a Military Industries Corporation que produz armas leves, explosivos e munições. Além de armamentos, a Advanced Eletronics Company, outra empresa com investimento na indústria de Defesa, tem aplicado capital no desenvolvimento de tecnologia em comunicação, aviônica e guerra eletrônica.

Em maio de 2017, o Fundo de Investimento Público da Arábia Saudita anunciou o lançamento de uma empresa militar estatal, a Saudi Arabian Military Industries (SAMI). Com a criação da SAMI, o governo espera atender parte dos objetivos do Saudi Vision 2030, gerar empregos e receitas para o crescimento do PIB, com cerca de 14 bilhões de Riyals, ou 3,7 bilhões de Dólares até o ano de 2030. A SAMI irá atuar no fornecimento de serviços em quatro unidades de negócios: Sistemas de Ar, que inclui a manutenção e o reparo de aeronaves de asa fixa, na fabricação e reparo de veículos aéreos não tripulados; Sistemas terrestres com fabricação e reparação de veículos militares; armas e mísseis, incluindo munições; e defesa eletrônica, o que inclui radares, sensores e sistemas de comunicação.

Embora a Arábia Saudita tenha reduzido seus gastos em Defesa em cerca de 30% de 2015 para 2016 (de quase 87,2 bilhões de Dólares para cerca de 63,7 bilhões) é provável que Riade, no mínimo, se mantenha em quarto lugar no ranking dos maiores orçamentos militares do mundo em 2017 depois do acordo de compra de armamentos norte-americanos de aproximadamente 110 bilhões de Dólares em maio deste ano. Não obstante, Riade tem demonstrado interesse em ampliar o investimento na indústria de defesa local para atender os objetivos publicados no Saudi Vision 2030, sendo a criação da SAMI uma representação disto.

Para atingir esse objetivo, o documento de visão estratégica explica que isto só será possível com investimentos diretos e parcerias estratégicas com empresas líderes neste setor, as quais possam fornecer treinamento de pessoal, transferência de tecnologia e conhecimento nos domínios da fabricação, manutenção, reparação, pesquisa e desenvolvimento. Deste modo, além de ser um grande importador de material bélico, a Arábia Saudita poderá se tornar um exportador em potencial, ao menos no âmbito regional, caso o planejamento em longo prazo seja mantido.

—————–

Imagem:

 Al-Masmak. Veículo de transporte de pessoal resistente à minas, produzido pela Saudi Groups.

Fonte:

https://21stcenturyasianarmsrace.com/2015/04/30/armored-cars-saudi-groups-al-masmak/

 —————–

Fontes consultadas:

 Advanced Eletronics Company.

Disponível em:

http://www.aecl.com/en/home.aspx

Acesso em: 18 de setembro de 2017.

Al Fahd Armoured Vehicle, Saudi Arabia. Army-Technology.Com.

Disponível em:

http://www.army-technology.com/projects/al_fahd/

Acesso em: 18 de setembro de 2017.

Armored Cars: Saudi Groups Al-Masmak. 21st Century Asian Arms Race, 30 de abril de 2015.

Disponível em:

https://21stcenturyasianarmsrace.com/2015/04/30/armored-cars-saudi-groups-al-masmak/

Acesso em: 18 de setembro de 2017.

Military Industries Corporation.

Disponível em:

 https://www.mic.gov.sa/Eng/our-products/Pages/default.aspx

Acesso em: 18 de setembro de 2017.

HAZAIMEH, Hani. Saudi Arabia launches national defense company. Arab News, 18 de maio de 2017.

Disponível em:

http://www.arabnews.com/node/1101071/saudi-arabia

Acesso em: 16 de setembro de 2017.

Saudi Arabia Launches Military Industries Company. Reuters, 18 de maio de 2017. Disponível em:

http://www.reuters.com/article/saudi-security-arms/update-2-saudi-arabia-launches-military-industries-company-idUSL8N1IJ5ZG

Acesso em: 16 de setembro de 2017.

Saudi Vision 2030.

Disponível em:

http://vision2030.gov.sa/en

Acesso em: 25 de maio de 2017.

Stockholm International Peace Research Institute – SIPRI. Military Expenditure Database.

Disponível em:

https://www.sipri.org/databases/milex

Acesso em: 26 de agosto de 2017.

TIAN, Nan, et al. Trends in World Military Expenditure, 2016. Stockholm International Peace Research Institute – SIPRI, April 2017.

Disponível em:

https://www.sipri.org/publications/2017/sipri-fact-sheets/trends-world-military-expenditure-2016

Acesso em: 26 de agosto de 2017.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *